Segunda-feira, 29 de Outubro de 2007

Video Clip do Marco Medeiros...

Olá!!

 

Hoje deixo-vos aqui o novo video clip do Marco Medeiros, que foi realizado pelo Afonso Pimentel...

 

(desliguem a música do player, em baixo na barra lateral para uma melhor visualização)

Muito bom, não acham?

 

Concerto de Estreia

 

Dia 12 de Novembro, o Marco vai estar no Hard Rock Café, em Lisboa (Av. da Liberdade) para um concerto recheado de boa música.

A entrada é livre.

 

Créditos: Fica a Saber Blog / Floribella Online

Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Algumas novidades...

 

Marco Medeiros é a nova cara de um refrigerante. O actor lança o desafio aos portugueses para mostrarem os seus dotes de dançarinos e integarem o novo filme da marca, para Portugal. O casting utiliza as potencialidades do site YouTube, no upload de vídeos e votação online.

 

Para veres os vídeos, deixo aqui os links:

http://www.youtube.com/watch?v=gXvdVT3Fr7o&mode=related&search=

 

http://www.youtube.com/watch?v=9J5FDKoAJuc&mode=related&search=

 

 

 

Segundo a revista TV7dias, vamos ver a Flor assim...

000p7thw

 

... falta  saber se irá ser no final da novela ou ainda vamos ter o prazer de conhecer os Tri...

In TV7dias / Fica a Saber Blog / YouTube

Terça-feira, 9 de Outubro de 2007

"Foi espectacular"

O Flip de "Floribella" está radiante: o seu primeiro videoclip foi dirigido por um dos seus grandes amigos.

 

 

É uma das personagens mais queridas de "Floribella" e agora aventura-se na música.

Marco Medeiros, o Flip na novela da SIC, acaba de lançar um CD com o seu nome. E, para a gravação do seu videoclip de estreia, Sem Rasto, escolheu para realizador Afonso Pimentel, o Afonso da mesma produção e seu grande amigo.

"Ele empenhou-se muito. Foi excelente trabalhar com ele", disse Marco, depois de um dia intenso de filmagens num armazém abandonado em Almada.

"O ambiente foi espetacular, apesar do décor estar muito sujo. Saímos de lá todos pretos, encardidos!"

 

 

Quanto ao balanço desta experiência, não podia ser melhor:

"Foi o primeiro videoclip que gravei. É estranho contar uma história sem palavras, só com música e imagens, mas estou contente com o resultado".

 

 

 

No teledisco, participaram ainda a actriz Juana Pereira da Silva e o produtor Vítor Guerreiro.

 

In Telenovelas nº 507 / Floribella Online

publicado por Ana às 15:05

link do post | deixar um comentário | favorito
Sábado, 22 de Setembro de 2007

Flip lança CD

Marco Medeiros lança o seu primeiro trabalho discográfico!

 

Foi desde muito novo que começou a pisar os palcos em companhias de teatro amadoras, o que fez despertar a paixão pela representação cedo. Depois de terminar o 12º ano, ingressou na Escola Profissional de Teatro de Cascais.

Terminado o curso, participou em três peças no teatro experimental de Cascais, onde desenvolveu as suas competências com o exemplo dos actores mais experientes.

Com o objectivo de alargar os seus horizontes, Marco Medeiros, ingressou num curso de televisão, com o actual realizador de "Floribella" – Attílio Riccó, que, mais tarde, o convidou para o papel de Flip! Participou também na série "Inspector Max" e na novela "Dei-te quase Tudo", ambas produções da NBP, em exibição na TVI.

Embora a sua paixão seja a representação, Marco esteve sempre ligado à música.

Chegou agora o momento de mostrar ao público o seu 1º trabalho discográfico homónimo, inspirado em ambientes acústicos e melancólicos com uma grande dose de bom gosto musical, letras fortes e uma magnífica interpretação do Marco e dos músicos que escolheu para o acompanhar.

Marco Medeiros assina 90% das músicas e letras deste disco; Miguel Bello, Diogo Morgado e Ivo Magalhães são os restantes nomes associados à composição deste trabalho.

Gravado nos meses de Abril e Maio de 2007, este trabalho foi captado nos IM Estúdios em Matosinhos, produzido por Ivo Magalhães (músico e produtor dos Lulla Bye) e masterizado por Jorge Fidalgo.
 
www.myspace.com/marcomedeiros
 
in Site Oficial Floribella
Terça-feira, 4 de Setembro de 2007

Marco Medeiros: "Sou um metrosexual assumido"

img209/7564/marcogjtu7.jpg

Quer conciliar a música com a representação, gosta de raparigas simples e de competir com ele próprio, daí ser fã de boxe. Aos 22 anos não quer parar de aprender lições de vida.

 

Fizeste um curso na Escola Profissional de Teatro de Cascais, como descobriste essa vocação?

Era muito novo quando percebi o que queria fazer. Já o meu pai fazia o mesmo de uma forma amadora. Penso que terá sido po causa dele que comecei a gostar dos palcos. Foi ao meu pai que fui buscar as minhas inspirações. Acompanhava-o naquilo que fazia. Ele era encenador, mas era mais cantor. Desde muito pequenino que me habituei a deitar-me tarde para assistir aos ensaios. Daí veio a minha vontade de fazer disto uma forma de vida, ma mais séria. Tenho muito respeito por quem é amador, mas optei por aprender mais, por saber exactamente o que estava a fazer.

Então a tua família não estranhou teres optado por uma carreira artística?

Não, para eles foi uma coisa completamente normal, uma rotina diária.

O teu pai ficou orgulhoso?

O meu pai ficou muito orgulhoso por alguém da família, neste caso o filho dele, ter conseguido fazer aquilo que ele nunca conseguiu, que foi fazer do espectáculo a sua vida. Acho que ele também não quis, o caso dele era diferente. Mas para o meu pai foi tudo muito difícil, mais do que tem sido para mim.

Gostas mais da música ou da representação?

Complementam-se. Gosto de ambas. Antes de fazer teatro já tocava e cantava, mas era uma coisa muito mais utópica que o teatro, pois via que o teatro era mais fácil de atingir, já fazia parte da minha vida. Considerava que música estava muito longe do meu alcance, porque é um meio muito fechado. O que me abriu as portas da música foi a representação. Mas são duas coisas que me complementam igualmente. Fazem parte do meu dia-a-dia. São as minhas paixões.

Antes de tocares na Banda da "Floribella" onde tocavas?

Tocava no meu quarto, com o meu cão. Toquei um mês num bar, mas era muito complicado. Já há bares onde respeitam o músico, mas naquele era a mesma coisa que estar a tocar um cd. Gosto de bares onde se vai para ouvir música, até porque eu não sou daquelas pessoas que enquanto ouve música fala. Eu, ou oiço música ou estou a falar.

img248/1403/marcogj2ln9.jpg

Como está a ser a experiência da "Floribella", dos concertos?

Sinto que ganho mais bagagem de concerto para concerto, mas de modo algum estou no topo de uma carreira. Acho que ainda me falta muita estrada, ma tem sido uma grande base, uma óptima experiência. O ano passado foi uma fase de explosão, de furor porque a "Floribella" era uma novidade no país. Foi um fenómeno. Acho que nunca mais na vida vou passar por algo assim, claro que gostaria, mas aquele sucesso todo é difícil. O entusiasmo do público é enorme. Recordo-me do nosso concerto em Guimarães. Ganhei noção da grandiosidade dos nossos concertos e eu quando ia a concertos grandes costumava estar no público e ali estava a ser o contrário. Foi o momento do clic, em que percebi que a telenovela era um sucesso e que eu estava a passar por uma experiência fora de série. Este ano as pessoas já estão mais habituadas a ouvir-nos. Já não há tanta novidade, nem para o público, nem para nós.

Identificas-te com as músicas da "Floribella"?

Não é o estlo que eu escolheria para tocar ou compor, mas é um golpe de génio de quem as compôs porque os temas são muito "orelhudos". Não há ninguém que não conheça uma música da "Floribella", é impossível que elas não entrem no ouvido. Há frases músicais que me agradam muito, mas o albúm que fiz há pouco tempo é diferente. Foram músicas que escolhi, tenho ali o que quero e gosto de ouvir.

Deve dar muito gozo fazer concertos com essas músicas que o público já sabe tão bem...

Sim, dá muito gozo. Divirto-me muito nos concertos, divirto-me muito a tocar com os meus colegas.

Porque razão dizem que és o mais vaidoso da banda?

Sou um metrosexual assumido. Sou mesmo, e não tenho vergonha nenhuma de o dizer, ao contrário da maior parte dos homens. Não saio de casa sem me arranjar, faço desporto, uso alguns cremes. Gosto de cuidar de mim, de ter cuidado com a minha saúde e dou importância ao aspecto físico. Não ligo ao das outras pessoas, mas ao meu sim. Não faço disso o centro da minha vida, mas sou cuidadoso comigo.

Tens tido sucesso com os teus cuidados com a imagem? Tens namorada?

Isso eu guardo para o meu diário.

O que mais gostas numa rapariga?

Fisicamente são os pés, mas no seu todo, gosto de uma pessoa compreensiva. A simplicidade facilita tudo. Uma pessoa simples adapta-se a qualquer meio, a qualquer estilo de vida, enfim a tudo. É claro que também gosto de ter algumas dificuldades, porque não gosto de coisas fáceis. Gosto que me compliquem a vida, mas não muito.

 

img50/7674/marcogj3up3.jpg

Achas que há muitas adolescentes apaixonadas por ti?

Não sei. Sei que há muitas pessoas que simpatizam com a minha personagem.

Como lidas com o assédio dessas fãs?

Nunca me dou muito bem, porque fico envergonhado. Até devia ser ao contrário, as outras pessoas é que deviam ficar envergonhadas. Agora, como já estou mais habituado já consigo "meter" mais conversa. Entrego-me muito às pessoas, digo algumas piadas, o que é sempre um bom escape.

Quando vai ser lançado o teu cd?

Já está gravado, será lançado durante o mês de Setembro e vai chamar-se Marco Medeiros.

O que representou para ti gravar o teu primeiro cd?

Foi mais um marco na vida do Marco. Consegui furar aquele círculo fechado do mundo da música. Agora só espero continuar porque tudo o que eu faço na vida é para ter continuação, não é para ser só uma experiência. Este cd foi feito com aquilo que acho que é qualidade, da melhor maneira que sei. Um dia vou olhar para ele e pensar: "é meu, fui eu que o fiz, eu consegui fazer isto". Ele até pode ser o maior fracasso, mas fui eu que o fiz e gosto dele.

Qual o género musical que seguiste?

Tem pop, rock, jazz, soul, funck. É uma grande mistura.

Qual a tua formação musical?

Canto lírico, expressão oral por causa do teatro, mas a nível instrumental sou um auto-didacta.

Depois do cd lançado como vai ficar a tua carreira de actor?

Vai ficar na mesma. Quando a "Floribella" terminar quero continuar. Alguma coisa vai surgir e se não surgir vou à luta.

O que a experiência da "Floribella" te acrescentou como pessoa?

Muito. Ajudou-me a perceber que o sucesso é efémero, que a estabilidade profissional também. A "Floribella" trouxe-me dos momentos mais felizes da minha vida. Foi a fase em que alcancei mais estabilidade em todas as áreas. Fiz muitos amigos. Não tenho vida pessoal, porque a minha vida é a minha profissão. O meu bem-estar depende muito da minha profissão, por isso tive a sorte de estar um ano e meio bem. Posso afirmar que nunca tinha estado um mês sem trabalhar, mas este foi um ano muito estável e que deu a possibilidade de dar a conhecer o Marco Medeiros ao público. Ao teatro vão 100 pessoas por dia e a "Floribella" era vista por cerca de um milhão... Abriu-me muitas portas. Tenho a certeza que daqui a 50 anos vou agradecer à "Floribella" e já agradeço. Como actor cresci muito porque a televisão obriga-nos a um ritmo de trabalho intenso, pois temos de atingir a perfeição em segundos, é um grande exercício.

 

img209/3052/marcogj4ys3.jpg

Porque razão deixaste de viver sozinho?

Viver sozinho foi uma experiência boa. Um dia acordei e achei que ir viver sozinho me ia fazer bem. Foi uma experiência de um ano que me enriqueceu muito, cresci como pessoa. Passado um ano percebi que realmente gostava da solidão, mas não quando era obrigatória. Estava a sentir-me muito só. Por isso resolvi voltar para casa dos meus pais. Eles e o meu cão fazem-me muita companhia.

Faz-te confusão teres voltado a viver com os teus pais?

Alguma. Em casa dos meus pais desleixo-me com a arrumação das minhas coisas. Sinto-me mais adulto desde que vivi sozinho, gosto dessa sensação, mas ainda sou um puto, ainda faço muitas asneiras e estou a aprender diariamente. Espero que assim seja até aos 100 anos.

O que mais te fascina no boxe?

É a competição. Gosto de competições interiores, gosto de competir comigo. Embora o boxe tenha sido uma ilusão. Sou um fanático da saga do Rocky e via sempre o treinador a puxar por ele, e ele ultrapassava os limites. E de facto no boxe ultrapassam-se limites, mas não estamos sozinhos, as aulas são em conjunto e a atenção dispersa-se. Gosto de sair das coisas a morrer, como se desse mais um passo e morresse. Mas afinal eu saía das aulas ainda com energia para pensar. Já não pratico boxe há uns meses... Para quem faz televisão não é bom aparecer todos os dias com um olho

negro.

Perdeste 14kg num mês antes de começares a gravar a "Floribella". És sempre assim tão determinado?

Sou muito. Quando ponho uma coisa na cabeça faço-a. Não aconselho a ninguém, acho que fui muito exagerado. Espero vir a ter mais momentos de determinação na minha carreira. Eu não era o exemplo de um galã ou do menino bonito da banda e achei que o meu papel pedia uma certa imagem que eu não tinha.

No teu disco há letras e músicas que são tuas. Em que te inspiras? As músicas já estavam escritas há muito tempo?

Há oito que são minhas. Trabalho muito sob pressão e até sou desleixado. Cerca de quatro músicas já estavam feitas. Inspirei-me naquelas fases da juventude em que me sentia só, angustiado. As outras foram feitas sob pressão. Há letras que poderia ter feito com mais calma, mas acabei por fazer no limite da entrega. Percebi que é assim que funciono. Podia achar que tinha escrito letras sem sentido, mas não. Consegui que contassem uma história, exprimissem um sentimento. Claro que ia tendo ideias durante a semana, mas só num dia é que as punha em papel. De qualquer forma consegui fazer um trabalho com alguma qualidade, modéstia à parte. A modéstia é importante, mas também temos de valorizar o nosso trabalho.

in Gente Jovem (nº 47) - http://www.marcomedeiros.pt.vc

 

Créditos: Floribella Online

Quarta-feira, 29 de Agosto de 2007

Novidades...

De Volta...

 

 

"Depois de se ter despedido dos colegas no final da primeira temporada da Floribella, Maya Booth está de regresso à novela infanto-juvenil da SIC. A jovem actriz recomeçou as gravações ontem, segunda feira, dia 27, para encarnar novamente o papel de Sofia Rebelo de Andrade"...

  

E ainda...

 

 

"Quem parece ter uma estrelinha da sorte é  Susana Mendes. Já se ouvem uns zunzuns de que a actriz foi convidada para uma próxima novela a ser produzida por Teresa Guilherme"...

 

 

 

"Marco Medeiros anda muito atarefado, além das gravações de Floribella, o jovem actor está preste a apresentar o seu primeiro disco a solo, a 17 de Setembro"...

 

In TV Guia / Fica a Saber

Domingo, 12 de Agosto de 2007

Entrevista a Marco Medeiros

"Nunca levei a música muito a sério"

 

A oportunidade de integrar o elenco da novela infantil da SIC fez com que os horizontes de Marco Medeiros se abrissem, quer no que toca à representação, quer à música.

 img158/1633/marco1zh0.jpg

Será que é nesta segunda temporada que vamos poder ver, finalmente, o Flip apaixonado?

Não sei, mas, por enquanto, não me parece que isso vá acontecer.

Também ficou satisfeito pelo núcleo dos rapazes se ter aproximado?

Com certeza que sim. Acho que houve uma aproximação progressiva entre nós, muito graças às tournées que fizemos com a Banda da Floribella. Acabámos por nos tornar muito unidos fora das gravações e, agora, na segunda série, ainda mais, pois contracenamos bastante vezes juntos.

E agora contam com a presença do Afonso...

Pois, para se juntar a mim, ao Rodrigo Saraiva e ao Tiago Barroso, veio o Afonso Pimentel. Somos um grupo completo, unido, divertido e acho que mais maluco (risos).

Não se sente já cansado, depois de tantos meses de gravações?

Não, é sempre uma diversão gravar com esta equipa e com estes colegas; talvez por isso o cansaço nunca se reflicta demasiado em nós.

Já tocava guitarra antes mesmo de integrar a Banda da Floribella?

Sim, há já alguns anos que tocava, mas nunca tinha levado isso muito a sério.

Agradou-lhe esta vertente de poder representar e tocar ao mesmo tempo?

Agradou-me bastante e isso, a seu tempo, vai dar os seus frutos.

Em Floribella 1, os espectadores tiveram ainda a oportunidade de ver a outra sua faceta, que foi andar em cima de muros e a saltar das árvores. Já alguma vez tinha feito parkour ou foi a primeira vez?

Não, nunca tinha feito. A única coisa do género que experimentei foi um workshop de arte circense, mas, ainda assim, não teve nada a ver. Confesso é que me ajudou, depois, a conseguir fazer parkour.

É preciso alguma preparação especial?

Não, acho que o que é mesmo preciso é uma grande dose de loucura (risos). Embora a arte circense tenha também alguns números meio doidos.

Mas foi desenvolvendo o gosto pelo parkour?

Gostei muito de praticar esta modalidade, mas o medo sempre foi mais forte, porque existe um certo risco de podermos cair e magoarmo-nos. Não é assim tão fácil como parece, requer muito treino e algumas quedas, também. Confesso que gosto mais de ver do que fazer...

Nesta segunda temporada, não aparece essa modalidade...

Pois não e fico com pena, porque sinto a falta daquele ambiente. Acho que foi muito engraçado e deu a conhecer às pessoas uma modalidade que, apesar de ter nascido em França há alguns anos, só agora começa a ser falada no nosso país.

 img158/6268/marco2vt4.jpg

CD a caminho

Para quem gostava de tocar viola, mas nunca tinha levado a "coisa" a sério, a vida do Flip, de Floribella, levou uma volta de 180 graus. De um momento para o outro, começou a não conseguir viver sem música e hoje, só pensa em lançar o seu próprio trabalho discográfico. "Estou a gravar as músicas do CD, que será o meu primeiro albúm de originais a solo", conta o jovem actor.

 

In Revista TV7 dias

Créditos Floribella Online

Sexta-feira, 27 de Abril de 2007

Marco Medeiros a solo

O actor e cantor Marco Medeiros, o Flip de Floribella vai em breve estrear-se a solo.

Depois do sucesso que fez na banda da Floribella, Marco Medeiros vai lançar um album de originais a solo.

In Novidades da TV

sinto-me:

Chat Floribella Pt Blog


Get your own Chat Box! Go Large!

Posts Recentes

Video Clip do Marco Medei...

Algumas novidades...

"Foi espectacular"

Flip lança CD

Marco Medeiros: "Sou um m...

Novidades...

Entrevista a Marco Medeir...

Marco Medeiros a solo

Parabéns atrasados......

Marco Medeiros em entrevi...

Arquivos

Maio 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Procurar tags...

 

Links